Decadência

Voltar

A vida no Barreiro era regulada pelas sirenes da CUF, às sete e cinquenta e cinco da manhã, toda agente tinha de estar na fábrica a trabalhar. Parecia uma cidade, dentro de uma vila. Havia uma imensidão de homens e mulheres, máquinas, barulho, pó. A violência da poluição química foi tanta que atravessou a história contemporânea do Barreiro e foram os trabalhadores que sofreram as maiores consequências. O ritmo acelerado das máquinas em movimento e as deslocações massivas dos trabalhadores deixaram uma marca profunda naquele que foi o maior aglomerado industrial do país. Uma história vincada, mas que, ainda assim, pode ser repensada em novos horizontes numa busca por um caminho mais ecológico, numa saída de emergência obrigatória.

Materiais: Terra, cimento, cerâmica: fragmentos de loiça azul. Dimensões: 23 cm x 23 cm x 50 cm. Peso: aproximadamente 20kg. Técnica: Terra compactada. Ano: 2019.

© 2021, Jessica Burrinha